//Perfil



Nome: Kátia

Idade: 42 anos

Signo: Escorpião

CHEGAR AOS QUARENTA...

Interessante chegar aos 40...
Me sinto muito bem,
Me sinto como na adolescência,
Porém com uma grande vantagem...
Sem aquelas angustiantes dúvidas e
Reafirmações de identidade...
Sem me sentir incompreendida por todos,
Que hoje na verdade acredito,
Ser a incompreensão de nós mesmos,
Que projetamos aos demais.
Com essa experiência e outras mais,
Sinto a serenidade de quem já viveu
Pelo menos metade da vida e
Não tem pressa de viver a outra metade,
Porque quer aproveitar a cada dia,
Saboreando-o ao máximo e
Aprendendo sempre mais.
Extraindo da vida tudo o que ela tem de melhor
Como quando esprememos uma fruta
Até tirar todo seu sumo.

Filme: Classico:Casablanca, Recente(nem tanto): A espera de um milagre.

Música: Quase todas, desde que tenha uma letra ou melodia de qualidade.





//Links
- Essencialmente Um Ser No Mundo
- Pensamentos soltos ao vento
- Karen
- Celtico
- Meu outro Blog
- Blog da Lilian
- Papo Espírita
- O vôo da águia
- Blônicas
- Blog do João
- Mestra dos Sonhos
- Espelho da alma
- LOBA
- Sentimentos e palavras
- Blog da Vilma
- Vertentes de mim
- Blog da Aline
- Humanos no Mundo
- Menina de Lua
- Andréia
- Blog da Polianne
- Blog da Santa



//Votação

- Dê uma nota para o meu blog
- Indique este blog


//Contador

//Histórico

- 28/10/2007 a 03/11/2007

- 14/10/2007 a 20/10/2007

- 20/05/2007 a 26/05/2007

- 29/04/2007 a 05/05/2007

- 15/04/2007 a 21/04/2007

- 01/04/2007 a 07/04/2007

- 25/03/2007 a 31/03/2007

- 18/03/2007 a 24/03/2007

- 11/03/2007 a 17/03/2007

- 04/03/2007 a 10/03/2007

- 25/02/2007 a 03/03/2007

- 18/02/2007 a 24/02/2007

- 10/09/2006 a 16/09/2006

- 03/09/2006 a 09/09/2006

- 30/07/2006 a 05/08/2006

- 18/06/2006 a 24/06/2006

- 07/05/2006 a 13/05/2006

- 30/04/2006 a 06/05/2006

- 23/04/2006 a 29/04/2006

- 16/04/2006 a 22/04/2006

- 09/04/2006 a 15/04/2006

- 02/04/2006 a 08/04/2006

- 19/03/2006 a 25/03/2006

- 05/03/2006 a 11/03/2006

- 26/02/2006 a 04/03/2006

- 12/02/2006 a 18/02/2006

- 29/01/2006 a 04/02/2006

- 22/01/2006 a 28/01/2006

- 08/01/2006 a 14/01/2006

- 01/01/2006 a 07/01/2006

- 25/12/2005 a 31/12/2005

- 18/12/2005 a 24/12/2005

- 20/11/2005 a 26/11/2005

- 06/11/2005 a 12/11/2005

- 30/10/2005 a 05/11/2005

- 16/10/2005 a 22/10/2005

- 25/09/2005 a 01/10/2005

- 11/09/2005 a 17/09/2005

- 28/08/2005 a 03/09/2005

- 14/08/2005 a 20/08/2005

- 31/07/2005 a 06/08/2005

- 24/07/2005 a 30/07/2005

- 03/07/2005 a 09/07/2005

- 26/06/2005 a 02/07/2005

- 19/06/2005 a 25/06/2005

- 29/05/2005 a 04/06/2005

- 22/05/2005 a 28/05/2005

- 08/05/2005 a 14/05/2005

- 01/05/2005 a 07/05/2005

- 24/04/2005 a 30/04/2005

- 17/04/2005 a 23/04/2005

- 03/04/2005 a 09/04/2005

- 27/03/2005 a 02/04/2005

- 13/03/2005 a 19/03/2005

- 27/02/2005 a 05/03/2005

- 13/02/2005 a 19/02/2005

- 06/02/2005 a 12/02/2005

- 30/01/2005 a 05/02/2005

- 23/01/2005 a 29/01/2005

- 16/01/2005 a 22/01/2005

- 09/01/2005 a 15/01/2005

- 02/01/2005 a 08/01/2005

- 26/12/2004 a 01/01/2005

- 19/12/2004 a 25/12/2004

- 12/12/2004 a 18/12/2004

- 05/12/2004 a 11/12/2004

- 28/11/2004 a 04/12/2004

- 21/11/2004 a 27/11/2004

- 14/11/2004 a 20/11/2004

- 07/11/2004 a 13/11/2004

//Créditos




Blogagem Coletiva pela Paz

                                                                            

                    FRASES SOBRE A PAZ

 

Não existe um caminho para a paz; a paz é o caminho.
(Mahatma Gandhi)

 



A justiça proporcionar-te-á a paz, mas também trabalhos.
(Ramón Llull, escritor, filósofo, místico e missionário espanhol)

 



A humanidade não pode libertar-se da violência senão por meio da não-violência.
(Mahatma Gandhi)

 

 

O segredo para viver em paz com todos consiste na arte de compreender cada um segundo a sua individualidade.
(Federico Luis Jahn)

 

 

Aqueles que tornam impossível uma revolução pacífica tornam inevitável uma revolução violenta.
(J. F. Kennedy)

 

 

Sei que a paz é mais difícil que a guerra. 
(Juscelino Kubitschek)

 

 

A paz vem de dentro de ti próprio, não a procures à tua volta.
(Buda)

 



O mundo não está ameaçado pelas más pessoas, mas sim por aqueles que permitem a maldade.
(Albert Einstein)

 



Discordo daquilo que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito de o dizeres.
(Voltaire)

 



Uma vez que as guerras nascem no espírito dos homens, é no espírito dos homens que se devem erguer as defesas da paz.
(Archibald McLeish, poeta americano)

 



A cultura ajuda um povo a lutar com as palavras, em vez de o fazer com as armas.
(Glugiermo Ferrero)

 



Aquilo que se obtém com violência só se pode conservar pela violência.
(Mahatma Gandhi)

 



Sou um homem pacífico; Deus sabe quanto amo a paz. Porém, espero jamais ser tão covarde que confunda opressão com paz.
(Kossuth)

 

 

"Podes ganhar a paz ou comprá-la; ganhá-la-ás, resistindo ao mal; comprá-la-ás, aceitando o compromisso com o mal."
( John Ruskin )

 

"Até a paz pode ser comprada por preço alto demais."
( Benjamin Franklin )

 



- Postado por: Kátia às 21h03
[ ] [ envie esta mensagem ]






As quatro estações da vida

                                                                                              
Você já notou a perfeição que existe na natureza? Uma prova incontestável da harmonia que rege a Criação. Como num poema cósmico, Deus rima a vida humana com o ritmo dos Mundos.

Ao nascermos, é a primavera que eclode em seus perfumes e cores. Tudo é festa. A pele é viçosa. Cabelos e olhos brilham, o sorriso é fácil. Tudo traduz esperança e alegria.

Delicada primavera, como as crianças que encantam os nossos olhos com sua graça. Nessa época, tudo parece sorrir. Nenhuma preocupação perturba a alma.

A juventude corresponde ao auge do verão. Estação de calor e beleza, abençoada pelas chuvas ocasionais. O sol aquece as almas, renovam-se as promessas.

Os jovens acreditam que podem todas as coisas, que farão revoluções no Mundo, que corrigirão todos os erros.

Trazem a alma aquecida pelo entusiasmo. São impetuosos, vibrantes. Seus impulsos fortes também podem ser passageiros... Como as tempestades de verão.

Mas a vida corre célere. E um dia – que surpresa – a força do verão já se foi.

Uma olhada ao espelho nos mostra rugas, os cabelos que começam a embranquecer, mas também aponta a mente trabalhada pela maturidade, a conquista de uma visão mais completa sobre a existência. É a chegada do outono.

Nessa estação, a palavra é plenitude. Outono remete a uma época de reflexão e de profunda beleza. Suas paisagens inspiradoras - de folhas douradas e céus de cores incríveis – traduzem bem esse momento de nossa vida.

No outono da existência já não há a ingenuidade infantil ou o ímpeto incontido da juventude, mas há sabedoria acumulada, experiência e muita disposição para viver cada momento, aproveitando cada segundo.

Enfim, um dia chega o inverno. A mais inquietante das estações. Muitos temem o inverno, como temem a velhice. É que esquecem a beleza misteriosa das paisagens cobertas de neve.

Época de recolhimento? Em parte. O inverno é também a época do compartilhamento de experiências.

Quem disse que a velhice é triste? Ela pode ser calorosa e feliz, como uma noite de inverno diante da lareira, na companhia dos seres amados.

Velhice também pode ser chocolate quente, sorrisos gentis, leitura sossegada, generosidade com filhos e netos. Basta que não se deixe que o frio enregele a alma.

Felizes seremos nós se aproveitarmos a beleza de cada estação. Da primavera levarmos pela vida inteira a espontaneidade e a alegria.

Do verão, a leveza e a força de vontade. Do outono, a reflexão. Do inverno, a experiência que se compartilha com os seres amados.

A mensagem das estações em nossa vida vai além. Quando pensar com tristeza na velhice, afaste de imediato essa idéia.

Lembre-se que após o inverno surge novamente a primavera. E tudo recomeça.

Nós também recomeçaremos. Nossa trajetória não se resume ao fim do inverno. Há outras vidas, com novas estações. E todas iniciam pela primavera da idade.

Após a morte, ressurgiremos em outros planos da vida. E seremos plenos, seremos belos. Basta para isso amar. Amar muito.

Amar as pessoas, as flores, os bichos, os Mundos que giram serenos. Amar, enfim, a Criação Divina. Amar tanto que a vida se transforme numa eterna primavera.


Redação do Momento Espírita.


- Postado por: Kátia às 23h24
[ ] [ envie esta mensagem ]






Frases sábias

"O homem está sempre pronto
para distorcer aquilo
que dizem os seus sentidos,
simplesmente para justificar sua lógica."

Fiodor Dostoievski

 

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".

Ruy Barbosa

 

O maior legado de uma Nação a seus filhos é o cuidado com sua honra, com sua justiça e a honestidade com que conduz o seu Poder.

(Murta,MHBM).

"Mais vale um juiz bom e prudente que uma lei boa. Com um juiz mau e injusto uma lei boa de nada serve, porque ele a verga e a torna injusta a seu modo"

(Código Geral da Suécia, 1734)



- Postado por: Kátia às 22h24
[ ] [ envie esta mensagem ]






Equilíbrio

                                                             

Para sentir-me preenchido tenho que ser estável. 

Para ser estável é necessário equilíbrio.

O equilíbrio entre :

 

Ser  alegre, e não inconveniente.

Ser sincero, e não machucar.

Ser firme nas idéias, e não arrogante.

Ser humilde, e não submisso.

Ser rápido, e não impreciso.

Ser contente, e não complacente

Ser despreocupado, e não descuidado.

Ser amoroso, e não apegado

 

 

Ser pacífico, e não passivo

Ser disciplinado, e não rígido.

Ser flexível, e não frouxo.

Ser comunicativo, e não exagerado.

Ser obediente e não cego.

Ser doce, e não melado.

Ser moldável, e não tolo.

Ser introspectivo, e não enclausurado.

Ser determinado, e não teimoso.

Ser corajoso , e não agressivo.

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net



- Postado por: Kátia às 17h26
[ ] [ envie esta mensagem ]






Dois homens e uma janela

 

Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.

Sua cama estava junto da única janela do quarto. O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas. Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres e famí­lias, das suas casas, dos seus empregos, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que ele conseguia ver do lado de fora da janela. O homem da cama do lado começou a viver à  espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela. A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos.

Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-í­ris. Árvores velha e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte. Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar. Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, ele conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.Dias e semanas passaram. Uma manha, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido, calmamente, enquanto dormia.

Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo. Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.

Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela...

Que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou à  enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede.

"Talvez ele quisesse apenas dar-lhe coragem...".

 

Moral da História:


Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.

A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.

Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente.

A origem desta carta é desconhecida.

 

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net

 



- Postado por: Kátia às 11h34
[ ] [ envie esta mensagem ]






BLOGAGEM COLETIVA DA PÁSCOA

                                                                                                       

 

Extraído do Site: http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/artigo189.html 

Escrito por Marcelo Henrique - Diretor de Política e Metodologias de Comunicação, da Abrade (Associação Brasileira de Divulgadores do Espiritismo) e Delegado da CEPA (Confederação Espírita Pan-Americana) para a Grande Florianópolis-SC.

 

Eis-nos, uma vez mais, às vésperas de mais uma Páscoa. Nosso pensamento e nossa emoção, ambos cristãos, manifestam nossa sensibilidade psíquica. Deixando de lado o apelo comercial da data, e o caráter de festividade familiar, a exemplo do Natal, nossa atenção e consciência espíritas requerem uma explicação plausível do significado da data e de sua representação perante o contexto filosófico-científico-moral da Doutrina Espírita.

Deve-se comemorar a Páscoa? Que tipo de celebração, evento ou homenagem é permitida nas instituições espíritas? Como o Espiritismo visualiza o acontecimento da paixão, crucificação, morte e ressurreição de Jesus? Em linhas gerais, as instituições espíritas não celebram a Páscoa, nem programam situações específicas para “marcar” a data, como fazem as demais religiões ou filosofias “cristãs”. Todavia, o sentimento de religiosidade que é particular de cada ser-Espírito, é, pela Doutrina Espírita, respeitado, de modo que qualquer manifestação pessoal ou, mesmo, coletiva, acerca da Páscoa não é proibida, nem desaconselhada.

O certo é que a figura de Jesus assume posição privilegiada no contexto espírita, dizendo-se, inclusive, que a moral de Jesus serve de base para a moral do Espiritismo. Assim, como as pessoas, via de regra, são lembradas, em nossa cultura, pelo que fizeram e reverenciadas nas datas principais de sua existência corpórea (nascimento e morte), é absolutamente comum e verdadeiro lembrarmo-nos das pessoas que nos são caras ou importantes nestas datas. Não há, francamente, nenhum mal nisso. Mas, como o Espiritismo não tem dogmas, sacramentos, rituais ou liturgias, a forma de encarar a Páscoa (ou a Natividade) de Jesus, assume uma conotação bastante peculiar. Antes de mencionarmos a significação espírita da Páscoa, faz-se necessário buscar, no tempo, na História da Humanidade, as referências ao acontecimento.

A Páscoa, primeiramente, não é, de maneira inicial, relacionada ao martírio e sacrifício de Jesus. Veja-se, por exemplo, no Evangelho de Lucas (cap. 22, versículos 15 e 16), a menção, do próprio Cristo, ao evento: “Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes da minha paixão. Porque vos declaro que não tornarei a comer, até que ela se cumpra no Reino de Deus.” Evidente, aí, a referência de que a Páscoa já era uma “comemoração”, na época de Jesus, uma festa cultural e, portanto, o que fez a Igreja foi “aproveitar-se” do sentido da festa, para adaptá-la, dando-lhe um novo significado, associando-o à “imolação” de Jesus, no pós-julgamento, na execução da sentença de Pilatos.

Historicamente, a Páscoa é a junção de duas festividades muito antigas, comuns entre os povos primitivos, e alimentada pelos judeus, à época de Jesus. Fala-se do “pesah”, uma dança cultural, representando a vida dos povos nômades, numa fase em que a vinculação à terra (com a noção de propriedade) ainda não era flagrante. Também estava associada à “festa dos ázimos”, uma homenagem que os agricultores sedentários faziam às divindades, em razão do início da época da colheita do trigo, agradecendo aos Céus, pela fartura da produção agrícola, da qual saciavam a fome de suas famílias, e propiciavam as trocas nos mercados da época. Ambas eram comemoradas no mês de abril (nisan) e, a partir do evento bíblico denominado “êxodo” (fuga do povo hebreu do Egito), em torno de 1441 a.C., passaram a ser reverenciadas juntas. É esta a Páscoa que o Cristo desejou comemorar junto dos seus mais caros, por ocasião da última ceia. Logo após a celebração, foram todos para o Getsêmani, onde os discípulos invigilantes adormeceram, tendo sido o palco do beijo da traição e da prisão do Nazareno.



- Postado por: Kátia às 14h33
[ ] [ envie esta mensagem ]






BLOGAGEM COLETIVA DA PÁSCOA CONTINUAÇÃO

A Páscoa, em verdade, pela interpretação das religiões e seitas tradicionais, acha-se envolta num preocupante e negativo contexto de culpa. Afinal, acredita-se que Jesus teria padecido em razão dos “nossos” pecados, numa alusão descabida de que todo o sofrimento de Jesus teria sido realizado para “nos salvar”, dos nossos próprios erros, ou dos erros cometidos por nossos ancestrais, em especial, os “bíblicos” Adão e Eva, no Paraíso. A presença do “cordeiro imolado”, que cumpre as profecias do Antigo Testamento, quanto à perseguição e violência contra o “filho de Deus”, está flagrantemente aposta em todas as igrejas, nos crucifixos e nos quadros que relatam – em cores vivas – as fases da via sacra. Esta tradição judaico-cristã da “culpa” é a grande diferença entre a Páscoa tradicional e a Páscoa espírita, se é que esta última existe. Em verdade, nós espíritas devemos reconhecer a data da Páscoa como a grande – e última lição – de Jesus, que vence as iniqüidades, que retorna triunfante, que prossegue sua cátedra pedagógica, para asseverar que “permaneceria eternamente conosco”, na direção bussolar de nossos passos, doravante.

Nestes dias de festas materiais e/ou lembranças do sofrimento do Rabi, possamos nós encarar a Páscoa como o momento de transformação, a Vera evocação de liberdade, pois, uma vez despojado do envoltório corporal, pôde Jesus retornar ao Plano Espiritual para, de lá, continuar “coordenando” o processo depurativo de nosso orbe. Longe da remissão da celebração de uma festa pastoral ou agrícola, ou da libertação de um povo oprimido, ou da ressurreição de Jesus, possa ela ser encarada por nós, espíritas, como a vitória real da vida sobre a morte, pela certeza da imortalidade e da reencarnação, porque a vida, em essência, só pode ser conceituada como o amor, calcado nos grandes exemplos da própria existência de Jesus, de amor ao próximo e de valorização da própria vida.

Nesta Páscoa, quando estiveres junto aos teus mais caros, lembra-te de reverenciar os belos exemplos de Jesus, que o imortalizam e que nos guiam para, um dia, também estarmos na condição experimentada por ele, qual seja a de “sermos deuses”, “fazendo brilhar a nossa luz”. Comemore, então, meu amigo, uma “outra” Páscoa. A sua Páscoa, a da sua transformação, rumo a uma vida plena.

 

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net

 



- Postado por: Kátia às 14h31
[ ] [ envie esta mensagem ]






Deus não vai perguntar...

Deus não vai perguntar que tipo de carro você costumava dirigir, mas vai perguntar quantas pessoas que necessitavam de ajuda você transportou.

Deus não vai perguntar qual o tamanho da sua casa, mas vai perguntar quantas pessoas você abrigou nela.

Deus não vai fazer perguntas sobre as roupas do seu armário, mas vai perguntar quantas pessoas você ajudou a vestir.

Deus não vai perguntar o montante de seus bens materiais, mas vai perguntar em que medida eles ditaram sua vida.

Deus não vai perguntar qual foi o seu maior salário, mas vai perguntar se você comprometeu o seu caráter para obtê-lo.

Deus não vai perguntar quantas promoções você recebeu, mas vai perguntar de que forma você promoveu outros.

Deus não vai perguntar qual foi o título do cargo que você ocupava, mas vai perguntar se você desempenhou o seu trabalho com o melhor de suas habilidades.

Deus não vai perguntar quantos amigos você teve, mas vai perguntar para quantas pessoas você foi amigo.

Deus não vai perguntar o que você fez para proteger seus direitos, mas vai perguntar o que você fez para garantir os direitos dos outros.

Deus não vai perguntar em que bairro você morou, mas vai perguntar como você tratou seus vizinhos.

E eu me pergunto: que tipo de respostas terei para dar?

Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se.
Você quer ser feliz para sempre? Perdoe!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
Autor Desconhecido

 

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net



- Postado por: Kátia às 20h35
[ ] [ envie esta mensagem ]






PRECONCEITOS

Este texto faz parte da blogagem coletiva do "Dia contra a Discriminação Racial"

                                               

   

Era uma tarde de domingo e o parque estava repleto de pessoas que aproveitavam o dia ensolarado para passear e levar seus filhos para brincar. O vendedor de balões havia chegado cedo, aproveitando a clientela infantil para oferecer seu produto e defender o pão de cada dia. Como bom comerciante, chamava atenção da garotada soltando balões para que se elevassem no ar, anunciando que o produto estava à venda. Não muito longe do carrinho, um garoto negro observava com atenção. Acompanhou um balão vermelho soltar-se das mãos do vendedor e elevar-se lentamente pelos ares. Alguns minutos depois, um azul, logo mais um amarelo, e finalmente um balão de cor branca. Intrigado, o menino notou que havia um balão de cor preta que o vendedor não soltava. Aproximou-se meio sem jeito e perguntou: “moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?”. O vendedor sorriu, como quem compreendia a preocupação do garoto, arrebentou a linha que prendia o balão preto e, enquanto ele se elevava no ar, disse-lhe: “Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.” O menino deu um sorriso de satisfação, agradeceu ao vendedor e saiu saltitando, para confundir-se com a garotada que coloria o parque naquela tarde ensolarada. O preconceito é uma praga que se alastra nas sociedades e vai deixando um rastro de prejuízos, tanto físicos como morais. O preconceito de raça tem feito suas vítimas, ao longo da história da humanidade. Mas não é somente o preconceito racial que tem sido causa de infelicidade. Esse malfeitor também aparece disfarçado sob outras formas para ferir e infelicitar. Por vezes, surge como defensor da religião, espalhando a discórdia e a maldade, o sectarismo e os ódios sem precedentes. Outras vezes apresenta-se em nome da preservação da raça, gerando abismos intransponíveis entre os filhos de Deus. Também costuma travestir-se de muro entre as classes sociais, fortalecendo o egoísmo, o orgulho, a inveja e o despeito. Podemos percebê-lo, ainda, agindo como barreira entre a inteligência e a ignorância, disfarçado de sabedoria, impedindo que o mais esclarecido estenda a mão ao menos instruído. O preconceito também costuma aparecer travestido de patriotismo, criando a falsa expectativa de supremacia nas mentes contaminadas pela soberba. Ele também pode ser percebido com aparência de idealismo político, explorando mentes juvenis inexperientes e sonhadoras, que são usadas como massa de manobra. Como se pode perceber, o preconceito é um inimigo público que deveria ser combatido como se combate uma epidemia. Essa chaga social tem emperrado as rodas do progresso e da paz. Por essa razão, vale empreender esforços para detectar sua ação, sob disfarces variados, e impedir sua investida infeliz. Começando por nós mesmos, vamos fazer uma auto-análise para verificar se o preconceito não está instalado em nosso modo de ver, de sentir, comandando nossas atitudes diárias. Depois, extirpar de vez por todas esse mal que teima em nos impedir de viver a solidariedade e a fraternidade sem limites, como propôs o Mestre de Nazaré.

 

Redação do Momento Espírita, com base no conto “o vendedor de balões”, do livro as 100 mais belas parábolas de todos os tempos.



- Postado por: Kátia às 17h56
[ ] [ envie esta mensagem ]






Desejo a você

Essa semana publico mais um texto muito lindo de Victor Hugo. Boa semana a todos.

Desejo, primeiro, que você ame, e que amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer.
E
que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo também que tenha amigos, ainda que maus e inconseqüentes. Que sejam corajosos e fiéis, e que pelo menos num deles você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha adversários. Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata pra que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas.

E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo, depois, que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente pra manter você de pé.

Desejo, ainda, que você seja tolerante, não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais, e que, sendo maduro, não insista em rejuvenescer, e que sendo velho, não se entregue ao desespero.
Porque cada idade tem seu prazer e a sua dor, e é preciso deixar que aconteçam no tempo certo.

Desejo, por sinal, que você seja triste, não o ano todo, mas apenas um dia. E que nesse dia descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra, com a máxima urgência, acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo, ainda, que você afague um gato, alimente um cuco e ouça o João-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal porque, assim, você se sentirá bem por pouca coisa.

Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga “isso meu”, só para que fique bem claro quem é dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você, mas que, se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo, por fim, que você, sendo homem, tenha uma boa mulher, e que sendo mulher, tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes, e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor pra recomeçar.

Victor Hugo


 

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net

 



- Postado por: Kátia às 13h38
[ ] [ envie esta mensagem ]






Homenagem ao dia das Mulheres

 O homem e a mulher (Victor Hugo)

 

O homem é a mais elevada das criaturas;
A mulher é o mais sublime dos ideais.
O homem é o cérebro;
A mulher é o coração.
O cérebro fabrica a luz;
O coração, o AMOR.
A luz fecunda, o amor ressuscita.
O homem é forte pela razão;
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence, as lágrimas comovem.
O homem é capaz de todos os heroísmos;
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece, o martírio sublima.
O homem é um código;
A mulher é um evangelho.
O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.
O homem é um templo; a mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos;
Ante o sacrário nos ajoelhamos.
O homem pensa; a mulher sonha.
Pensar é ter , no crânio, uma larva;
Sonhar é ter , na fronte, uma auréola.
O homem é um oceano; a mulher é um lago.
O oceano tem a pérola que adorna;
O lago, a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa;
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço;
Cantar é conquistar a alma.
Enfim, o homem está colocado onde termina a terra;
A mulher, onde começa o céu.
(recebi do amigo Fábio Oliveira)

 

 

VISITE MEU OUTRO BLOG: www.gritocidadao.zip.net

 



- Postado por: Kátia às 22h46
[ ] [ envie esta mensagem ]






Sabedoria do Dalai Lama

 

Perguntaram ao Dalai Lama....

 

“O que mais te surpreende na Humanidade?”

 

E ele respondeu:

 

“Os homens... Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde.

E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.

E vivem como se nunca fossem morrer...

...e morrem como se nunca tivessem vivido.

 

                                                                                                                     



- Postado por: Kátia às 22h12
[ ] [ envie esta mensagem ]






CUIDADO COM O JACARÉ

Estou tentando reativar este blog, pois tem muitos textos bonitos que gostaria de compartilhar com este mundo blogueiro. Me animei também ao ver o número de pessoas que entraram neste blog mesmo estando sem atualizações. Tentarei postar pelo menos semanalmente. Abraços a todos.

 

                                                                                       

Como lidar com tarefas (e pessoas) que ficam no seu pé para tirar o seu foco

 

Estou muito impressionado com o número de profissionais, de todas as idades, que me contam estar preocupados com sua performance. Nós todos sabemos que, depois das reengenharias, downzisings e outros processos chamados de modernização organizacional, as pessoas estão com uma carga de trabalho que beira o limite físico. Por outro lado, a constante busca de ferramentas modernas, como os sistemas integrados de gestão, procura facilitar a rotina diária, mas, na verdade, está criando mais tensão, até essas ferramentas estarem perfeitamente implantadas. Tudo isso afeta a performance, fora o fato que hoje a competitividade exige tudo mais rápido, mais perfeito e mais barato.

No entanto, quando estou entrevistando profissionais durante os processos de seleção que conduzo, tenho notado que existe um inimigo maior ainda, que afasta as pessoas da tão sonhada alta performance. É o jacaré. Deixe-me explicar: muitos anos atrás, ouvi numa aula do professor Larry Greiner, da University of Southern Califórnia, a seguinte frase:”Se você tem um jacaré a lhe morder a perna, a tendência é esquecer que sua tarefa principal era drenar o pântano”. Realmente, nessa hora a sobrevivência fala mais alto. Você entra no pântano, cheio de vontade de executar a tarefa de drená-lo. Aí, o jacaré morde a sua perna. E você vai querer matar o jacaré, claro. O pântano que espere.

O jacaré desta história é o nosso dia-a-dia. É a rotina que lhe ataca de manhã e que impede que você faça todas as tarefas que planejou para o dia. E ao final, exausto, você olha a pilha de jacarés mortos e é cobrado, pelo seu chefe, pelo pântano que não drenou. Saber enfrentar a rotina é uma tarefa fundamental para quem quer ter alta performance. Evitar o jacaré é planejar melhor, é testar todas as hipóteses, é prever os desvios e inconsistências. O jacaré detesta planejamento. Ele anda pela empresa com sua casca grossa, rabo comprido e braços curtos dizendo que planejamento não serve para nada, que nunca dá certo, que é um jogo de adivinhação. Tudo mentira. O jacaré morre de medo do planejamento, que, quando bem feito, é um exercício de previsibilidade. E que não é feito para dar certo, mas sim para testar antecipadamente todas as hipóteses.

Olhe bem a sua volta. Os jacarés estão por todos os lugares, com sua fala mansa e andar desengonçado. E, se você bobear, um deles ataca:”Cadê a cópia do relatório A45 que você ficou de me mandar?”. Pronto, ele mordeu sua perna! Agora vai ter de matar este.... e lá se vão quase duas horas do dia. Fique atento. Planeje bem o seu dia. Exercite o planejamento, pratique o exercício da previsibilidade, ou você vai se tornar um especialista em matar jacarés. E o duro desta vida é que o reconhecimento, as oportunidades e as recompensas só virão para os que drenarem o pântano. Vade retro, jacaré.

(Luiz Carlos de Queirós Cabrera - Revista Você S/A – Julho/2006)



- Postado por: Kátia às 18h36
[ ] [ envie esta mensagem ]






Comunicado

Queridos amigos,

Desculpem-me a ausência prolongada, mas neste momento estou precisando colocar para fora um monte de pensamentos que povoam minha mente e decidi fazê-lo no meu outro blog, por isso não tenho postado muito neste. Aproveito para convidá-los para me visitar por lá no www.gritocidadao.zip.net.

Abraços

ps- Agradeço em especial a minha amiga Loba que tem me visitado e deixado recados. Bjus no seu coração!



- Postado por: Kátia às 22h34
[ ] [ envie esta mensagem ]






CÓDIGO DE ÉTICA DOS ÍNDIOS

1. Levante com o Sol para orar. Ore sozinho. Ore com freqüência. O Grande Espírito o escutará, se você, ao menos, falar.

2. Seja tolerante com aqueles que estão perdidos no caminho. A ignorância, o convencimento, a raiva, o ciúme e a avareza, originam-se de uma alma perdida. Ore para que eles encontrem o caminho do Grande Espírito.

3. Procure conhecer-se, por si próprio. Não permita que outros façam seu caminho por você. É sua estrada, e somente sua. Outros podem andar ao seu lado, mas ninguém pode andar por você.

4. Trate os convidados em seu lar com muita consideração. Sirva-os o melhor alimento, a melhor cama e trate-os com respeito e honra.

5. Não tome o que não é seu. Seja de uma pessoa, da comunidade, da natureza, ou da cultura. Se não foi ganhado nem foi dado, não é seu.

6. Respeite todas as coisas que foram colocadas sobre a Terra. Sejam elas pessoas, plantas ou animais.

7. Respeite os pensamentos, desejos e palavras das pessoas. Nunca interrompa os outros nem ridicularize, nem rudemente os imite. Permita a cada pessoa o direito da expressão pessoal.

8. Nunca fale dos outros de uma maneira má. A energia negativa que você colocar para fora no universo, voltará multiplicada a você.

9. Todas as pessoas cometem erros. E todos os erros podem ser perdoados.

10. Pensamentos maus causam doenças da mente, do corpo e do espírito. Pratique o otimismo.

11. A natureza não é para nós, ela é uma parte de nós. Toda a natureza faz parte da nossa família Terrenal.

                                                                                                                                                                

12. As crianças são as sementes do nosso futuro. Plante amor nos seus corações e ágüe com sabedoria e lições da vida. Quando forem crescidos, de-lhes espaço para que cresçam.

13. Evite machucar os corações das pessoas. O veneno da dor causada a outros, retornará a você.

14. Seja sincero e verdadeiro em todas as situações. A honestidade é o grande teste para a nossa herança do universo.

15. Mantenha-se equilibrado. Seu Mental, seu Espiritual, seu Emocional, e seu Físico, todos necessitam ser fortes, puros e saudáveis. Trabalhe o seu Físico para fortalecer o seu Mental. Enriqueça o seu Espiritual para curar o seu Emocional.

16. Tome decisões conscientes de como você será e como reagirá. Seja responsável por suas próprias ações.

17. Respeite a privacidade e o espaço pessoal dos outros. Não toque as propriedades pessoais de outras pessoas, especialmente objetos religiosos e sagrados. Isto é proibido.

18. Comece sendo verdadeiro consigo mesmo. Se você não puder nutrir e ajudar a si mesmo, você não poderá nutrir e ajudar os outros.

19. Respeite outras crenças religiosas. Não force suas crenças sobre os outros.

20. Compartilhe sua boa fortuna com os outros.



- Postado por: Kátia às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ]